HOME   QUEM SOMOS   IMPRENSA DIRETORIA E MASTERS     ANJOS ESCUDEIROS  LINKS ÚTEIS GALERIA DE FOTOS PARCEIROS FALE CONOSCO
Untitled Document
   
HISTÓRIA
 
 

1. O nome Hayabusa
Hayabusa é o nome dada a um falcão peregrino japonês. Este pássaro muitas vezes serve como uma metáfora para a velocidade, pois quando ele caça ele entra em mergulho vertical e pode inclinar-se a velocidade de 180 a 240 milhas por hora (290-390 Km/h), o mais rápido que qualquer ave no mundo. O nome foi usado para denominar a Hayabusa Mansyu, 1930, um avião japonês. Também recebeu a denominação o trem Hayabusa (expresso de Tóquio para Kumamoto). A Motocicleta Hayabusa foi nomeada em 1999 com o intuito de destituir a Honda Super Blackbird do trono de moto mais rápida do mundo da produção até então.

2. Introdução
A Suzuki Hayabusa (ou GSX1300R) foi a primeira motocicleta hyper sport produzida pela Suzuki, a partir de 1999. Imediatamente o mundo a aclamou como a moto mais rápida em linha de produção, conseguindo a façanha de 303 a 312 Km/h de velocidade máxima, superando em 16Km/h a Honda CBR1100XX Super Blackbird.

Após tão esperada, e com antecipação, surge a Kawasaki Ninja ZX-12R modelo 2000, porém por uma velocidade máxima inferior a 6Km/h, a Hayabusa garante seu lugar como a motocicleta de produção normal mais rápida do século 20. Em 2000, os temores de uma folga regulamentar européia (ou proibição de importação) levam a um acordo informal entre os fabricantes japoneses e europeus para administrar a velocidade máxima de suas motocicletas em um limite arbitrário. Isto faz com que o título da Hayabusa, pelo menos tecnicamente, permaneça inatacável, uma vez que nenhum modelo posterior poderia ir mais rápido sem ser adulterada.

O modelo do ano 2000 e as posteriores Hayabusas, bem como a sua concorrência, são limitadas eletronicamente a 300 km / h (186 mph ). O modelo 1999 permanece irrestrita, valorizando-a ainda mais para os amantes e os colecionadores.

Testes de velocidade da motocicleta, especialmente em altas velocidades, são propensas a variação devido ao erro humano, limitações do equipamento, fatores atmosféricos como o vento, umidade e altitude. Os resultados publicados em dois testes de outro modo idêntico podem variar dependendo se o resultado é apresentado com ou sem fatores de correção padrão calculados da indústria para compensar as condições de ensaio. Erros de arredondamento são possíveis, bem como na conversão de milhas para quilômetros por hora. Os números de potência e torque variam inevitavelmente por motivos semelhantes.

Além de sua velocidade, a Hayabusa foi elogiada por muitos críticos pelo seu conjunto all-around performance. Issso que dizer que a Hayabusa possui outras qualidades, como manuseio, conforto, confiabilidade, o ruído, economia de combustível além do preço praticado.

3. Primeira Geração (1999-2007)
Quando foi exibido pela primeira vez à imprensa em 1999, os representantes sugeriram a motocicleta Suzuki uma nova categoria: "Ultimate Sport". Só que a categoria não pegou, pois a categoria hiper-sport provou ser suficientemente descritiva. A Hayabusa superou o modelo de produção anterior de recorde de velocidade (Honda Blackbird) por uma margem de 10 a 14 mph (16 km a 23 / h).

A primeira geração tinha 1.299 centímetros cúbicos, refrigeração líquida, motor 4 cilindros em linha com dezesseis válvulas conduzido por duplo comando no cabeçote. Esta configuração, tecnologicamente normal para a época, emitiu um recorde de 173 cavalos de potência (129 kW) no virabrequim, em virtude da maior cilindrada sempre em uma moto esporte, e RAM Air que forçava a entrada ar fresco para dentro dos cilindros. Juntamente com a aerodinâmica sofisticada, este poderoso motor empurra a Hayabusa a uma velocidade superior acima da Honda Super Blackbird por um salto impressionante, contrastando com os ganhos incrementais que precedeu a entrada Suzuki na categoria Hper Sport. Antes da Honda Blackbird, o topo de velocidade máxima pertencia a Kawasaki Ninja ZX-11 de 1990.

Uma característica distinta do motor Hayabusa foi a sua performance de torque em baixa. Em comparação com a CBR1100XX e a ZX-11, a forma dos gráficos de potência se assemelha os três motores, mas a Hayabusa diverge torque gráfico dos outros dois no início do intervalo do RPM e fica bem acima deles dos 3000 até os 9000 rpm.

Os dutos do RAM Air encontram-se na frente, caídas, formando um nariz arredondado e esprimido na área frontral longe do farol. Isso, juntamente com anecessidade de uma estreita zona frontal, exigiram um formato de farol empilhado e atrás de uma única lente. Além disso, a necessidade de reduzir o arrasto extremo encontrado em altas velocidades foram determinantes para a introdução da bolha. Esta forma aerodinâmica foi fundamental para que a Hayabusa pudesse alcançar o recorde de velocidade numa moto de linha de produção.

O motor utilizado uma engrenagem movida por um contra balanceador para reduzir a vibração ao ponto que o motor poderia ser solidamente fixado ao quadro e com a finalidade de aumentar a rigidez do chassis.

Empregando um quadro de duplo feixe convencional, garfos upsidedown totalmente ajustáveis, utilizando pneus Bridgestone especialmente desenvolvidos para ela, e ser relativamente leve (215Kg - seco), a condução da Hayabusa foi considerado excelente para uma máquina desta classe.

4. Outros Desenvolvimentos Após a inclusão do sistema de limitação de velocidade em 2000, a Hayabusa é substancialmente a mesma até o ano modelo 2007. Uma exceção foi uma resposta ao problema do subchassi traseiro em alumínio dos modelos 1999 e 2000. Houve relatos de quebra do subchassi quando a moto tinha sido sobrecarregados com passageiros e/ou bagagem. Em 2001 nas Hayabusas fabricados posteriormente utilizavam aço em vez de subchassi traseiro de alumínio, acrescentando 4,5 kg no seu peso.

fonte: http://www.suzukionline.org/t6488-historia-suzuki-hayabusa-gsx1300-r

 
 
   
 
contato@escuderiahayabusa.com.br
82 9 9192-8584
    contato@escuderiahayabusa.com.br
       
   
  DESTAQUES
  NOVIDADES
  CLASSIFICADOS
  CURSOS
  COLUNAS
  NOTÍCIAS
QUEM SOMOS
DIRETORES
PALAVRA DO PRESIDENTE
GALERIA DE FOTOS
PARCEIROS
FALE CONOSCO